sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Consulta Pública MEC

Olá a Todas e Todos!
Hoje divulgo para vocês os textos disponibilizados no site do MEC para Consulta Pública.
Todos os textos foram escritos por pesquisadoras da área e discutem assuntos fundamentais como o  currículo para a educação infantil, as múltiplas linguagens e o trabalho com os bebês.
Segue abaixo a relação dos textos, com o link para quem quiser acessar. Ao final segue o link do Ministério da Educação.
Abraços!

O currículo na Educação Infantil: o que propõem as novas Diretrizes Nacionais?
Zilma de Moraes Ramos de Oliveira

As especificidades da ação pedagógica com os bebês.
Maria Carmen Silveira Barbosa

Brinquedos e brincadeiras na Educação Infantil
Tizuko Morchida Kishimoto

Relações entre crianças e adultos na Educação Infantil
Iza Rodrigues da Luz

Saúde e bem estar das crianças: uma meta para educadores infantis em parceria com familiares e profissionais de saúde.
Damaris Gomes Maranhão

Múltiplas linguagens de meninos e meninas no cotidiano da Educação Infantil
Márcia Gobbi

A linguagem escrita e o direito à educação na primeira infância
Mônica Correia Baptista

As crianças e o conhecimento matemático: experiências de exploração e ampliação de conceitos e relações matemáticas
Priscila Monteiro

Crianças da natureza
Léa Tiriba

Orientações curriculares para a Educação Infantil no Campo
Ana Paula Soares da Silva

Avaliações e transições na Educação Infantil
Hilda Micarello

Link MEC:
http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=1096&id=15860&option=com_content&view=article

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Tenho apostilas com atividades para crianças!


Anúncios como esses estão sempre povoando as comunidades de Educação Infantil no orkut e quando eles aparecerem nos fóruns há sempre centenas, para não dizer milhares, de interessados.
Fico me perguntando: Será que estamos tão perdidos no que fazer com as crianças pequenas, que necessitamos tão urgentemente de uma série de atividades prontas para reproduzir com as crianças?
Essa pergunta me remete a um texto belíssimo de Luciana Ostetto chamado “Planejamento na Educação Infantil: mais do que a atividade, a criança em foco” (Livro: Encontros e Encantamentos na Educação Infantil).
No texto, a autora aponta a necessidade do planejamento enquanto uma atitude crítica  do educador que deve constantemente repensar, revisar e buscar novos significados para sua prática.  Discute também como o planejamento é revelador da nossa concepção de mundo, de criança e de educação  e que mais importante do que a forma como ele é registrado são os princípios que sustentam as propostas (atividades) por nós escolhidas a serem desenvolvidas com as crianças.
Ou seja, planejar sempre envolve escolhas, princípios e crenças; envolve pensar profundamente sobre eles e perceber as coerências e incoerências naquilo que ofertamos aos pequenos.
Além disso, planejar envolve também uma atitude permanente de escuta das palavras, dos gestos, dos silêncios, dos movimentos  das recusas das crianças. Pois é essa escuta profunda que vai nos dizer qual é a melhor proposta para as crianças e não a atividade que alguém um dia elaborou, sem nunca tê-las visto ou ouvido. Afinal: por que e para quem elaboramos (ou reproduzimos) uma atividade?

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Relato de uma mãe encantada

Olá pessoal!
Hoje lhes escrevo como mãe. Tenho um filho de 4 anos que mudou recentemente de escola. Quero compartilhar com vocês o encantamento dele com as experiências vividas nesses poucos dias que  começou a frequentar a nova instituição.
Todos os dias, ele chega com a roupa "suja" e olhos brilhando de felicidade: - Mamãe, sabe o que fizemos hoje? Tomamos banho de esguicho ou fizemos massinha de óleo, ou ainda a professora contou história e a gente comeu pipoca, brincamos de lama, ... cada dia uma novidade, cada dia um encantamento com as histórias, as músicas ouvidas, as brincadeiras realizadas pela e com a professora (- Sabe mamãe ela brinca muuuito com a gente!) e com os colegas.
Cada fala diária dele me faz lembrar como as crianças sabem medir a qualidade do que lhes é oferecido. E essa boa avaliação acontece  quando a institiuição possibilita que as crianças vivam intensamente sua infância, possam se expressar nas diferentes linguagens (musical, corporal, plástica, etc.) e permitem interações significativas entre adultos e crianças.
Um abraço maravilhado!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Plano Nacional de Educação

Olá Pessoal!
 Após várias negociações e debates saiu o projeto de lei do Plano Nacional de Educação  (PNE) que define as prioridades do país para a educação na década de 2011 a 2020. São 20 metas propostas, das quais 4 se referem diretamente ao professor, com recomendação aos sistemas de ensino que elaborem planos de carreira para seus profissionais docentes. Também é meta que todos os professores da educação básica  tenham formação em nível superior. 
No caso da  educação infantil, a meta é a universalização do atendimento das crianças de 4 e 5 e o atendimento de 50% da população de até 3 anos.  Enquanto estratégias para a realização dessa meta, está posto que:

Estratégias:
1.1) Definir, em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, metas de expansão das respectivas redes públicas de educação infantil segundo padrão nacional de qualidade compatível com as peculiaridades locais.
1.2) Manter e aprofundar programa nacional de reestruturação e aquisição de equipamentos para a rede escolar pública de educação infantil, voltado à expansão e à melhoria da rede física de creches e pré-escolas públicas.
1.3) Avaliar a educação infantil com base em instrumentos nacionais, a fim de aferir a infra-estrutura física, o quadro de pessoal e os recursos pedagógicos e de acessibilidade empregados na creche e na pré-escola.
1.4) Estimular a oferta de matrículas gratuitas em creches por meio da concessão de certificado de entidade beneficente de assistência social na educação,.
1.5) Fomentar a formação inicial e continuada de profissionais do magistério para a educação infantil.
1.6) Estimular a articulação entre programas de pós-graduação stricto sensu e cursos de formação de professores para a educação infantil, de modo a garantir a construção de currículos capazes de incorporar os avanços das ciências no atendimento da população de 4 e 5 anos.
1.7) Fomentar o atendimento das crianças do campo na educação infantil por meio do redimensionamento da distribuição territorial da oferta, limitando a nucleação de escolas e o deslocamento das crianças, de forma a atender às especificidades das comunidades rurais.
1.8) Respeitar a opção dos povos indígenas quanto à oferta de educação infantil, por meio de mecanismos de consulta prévia e informada.
1.9) Fomentar o acesso à creche e à pré-escola e a oferta do atendimento educacional especializado complementar aos educandos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, assegurando a transversalidade da educação especial na educação infantil.

Aqueles que quiserem ler o projeto de lei na integra, é possível fazê-lo no link: http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2010/12/veja-integra-do-plano-nacional-de-educacao.html

Também no blog do Fórum Paulista de Educação Infantil há mais informações sobre o Projeto com considerações importantes a esse respeito: http://fpeicrianca.blogspot.com/2011/02/pne-para-valer.html

Um grande abraço!